Uma marca Alvorecer
   


NOSSO BLOG


Bem-vindo ao blog da Blue Med Saúde

A Blue Med é apaixonada por cuidar. Proteger as famílias que atendemos é o que nos move há mais de 90 anos.

Entendemos, porém, que muitas vezes a saúde é apenas uma questão de conhecimento.
Saber quais práticas adotar em relação à exercícios, alimentação e hábitos no geral pode ser a chave para atingir uma vida mais saudável e longeva.

Por isso, decidimos reunir nossos 94 anos de experiência na área da saúde neste blog, onde semanalmente você encontrará novas dicas e conselhos sobre como renovar seu bem-estar e energias para encarar os desafios que a vida nos proporciona.

Fique por dentro das novidades do blog Blue Med Saúde.


239457-x-cuidados-com-a-saude-das-criancas-que-nao-podem-ser-ignorados.jpg

outubro 24, 2018 Família0

Cuidar da saúde das crianças pode parecer um desafio, mas não há razões para acreditar que isso pode ser um problema. Apesar de serem misteriosos e cheios de personalidade, a relação com os pequenos não precisa ser necessariamente um campo de batalhas. Com alguns cuidados, é possível garantir a qualidade de vida dessa galerinha e mantê-los sempre saudáveis.

As crianças estão em fase de crescimento e, por isso, alguns fatores merecem uma atenção redobrada por parte de pais e responsáveis. Esses cuidados garantem um desenvolvimento adequado e fazem com que eles se tornem, no futuro, adultos mais saudáveis e com poucos problemas de saúde.

Não sabe quais cuidados são esses? Não se preocupe! A seguir, preparamos uma pequena lista com alguns pontos que não podem ser deixados de fora ao lidarmos com crianças das mais variadas idades. Boa leitura!

1. Atenção com a saúde bucal

Fazer com que as crianças cuidem da higiene bucal pode ser um desafio. A maioria delas acredita que essa é uma tarefa chata e que há muitas coisas melhores para se fazer com o tempo livre, certo? Por isso, é necessário ‘’ficar em cima’’ e garantir que a higienização seja feita com frequência, além de priorizar lanches mais saudáveis na merenda escolar.

Isso garante a saúde bucal e previne uma série de problemas nos dentes e na boca, que é a porta de entrada para diversas bactérias. De certa forma, os problemas que surgem na região podem afetar o corpo inteiro e,  inclusive, fazer com que os pequenos sejam adultos com problemas recorrentes na área. Fique ligado!

2. Manter a vacinação em dia

As vacinas são um incrível avanço da ciência e o seu desenvolvimento foi o responsável por salvar milhões de vidas. O Brasil é, atualmente, um exemplo no ramo e o seu programa de vacinação é admirado por muitas outras nações.

A vacinação só não deve ser aplicada em casos específicos, sempre com a recomendação de um médico e uma minuciosa avaliação de cada paciente. Por isso, é essencial manter a caderneta de seu filho sempre atualizada para evitar problemas sérios de saúde, que podem ser facilmente prevenidos.

3. Cuidar da alimentação

A alimentação é o combustível de nosso organismo. É por meio dela que conseguimos os nutrientes (como as vitaminas e os minerais) necessários para garantir que todas as reações de nosso organismo sejam realizadas da maneira adequada.

Quando falamos sobre crianças em fase de crescimento, isso se torna ainda mais importante. Forneça uma alimentação diversificada para a criançada, bem colorida e balanceada em relação aos principais grupos alimentares.

4. Garantir estímulos cognitivos

Trabalhar as habilidades cognitivas (que envolvem a memorização, raciocínio lógico, coordenação motora etc.) é fundamental para o desenvolvimento adequado e a saúde das crianças.

Para isso, é necessário fornecer um ambiente enriquecido para que os pequenos convivam. Invista em atividades enriquecedoras, como a música, o desenho ou o teatro, que trabalham de forma generalizada todas essas questões.

5. Dar muito carinho e atenção

Por fim, mas não menos importante, é necessário falar sobre a atenção e o carinho desprendidos às crianças. Evite brigas, gritos ou punições desnecessárias e lembre-se que aquele ser está em constante evolução, aprendizado e desenvolvimento.

Por isso, seja gentil e faça com que a criança cresça em um ambiente amigável e seguro. Isso formará um adulto mais tranquilo, integrado socialmente e muito saudável em vários sentidos!

Gostou de conhecer essas dicas de cuidados com a saúde das crianças? Como podemos ver, elas abrangem tanto fatores físicos quanto os psicológicos, fundamentais para garantir um desenvolvimento adequado, saudável e permitir que os pequenos tenham muita qualidade de vida ao crescer!

Para conferir outros artigos como este e ficar por dentro de todas as novidades da BlueMed, que tal seguir as nossas páginas nas redes sociais? Assim, você não perde nenhum conteúdo e recebe dicas frequentes de como cuidar de sua família da melhor maneira possível. Estamos no Facebook e no LinkedIn!


239855-veja-quais-sao-os-x-sintomas-da-menopausa-e-como-identificalos.jpg

outubro 17, 2018 Família0

O corpo humano passa, no decorrer de sua vida, por muitas alterações significativas. A maioria delas diz respeito ao envelhecimento natural das células e as mudanças nos ciclos hormonais, especialmente quando falamos sobre as pessoas do sexo feminino. Por conta disso, conhecer os sintomas da menopausa e saber um pouco mais sobre esse período é fundamental.

A menopausa é uma etapa que marca o fim da vida reprodutiva da mulher. Durante esse período, o corpo feminino para de produzir alguns hormônios e ocorre o fim da menstruação. Não há, de maneira geral, uma idade para isso ocorrer. Em alguns casos, ela pode se iniciar aos 40 anos e, em outras, acima dos 50.

Mas, afinal, quais são esses sintomas? Como podemos reconhecê-los e ter uma transição muito mais tranquila entre a vida fértil e o fim do período reprodutivo? Pensando nessas dúvidas, criamos este artigo que cita alguns dos principais sinais envolvidos com a menopausa. Boa leitura!

1. Ondas de calor

Provavelmente um dos sintomas mais conhecidos e característicos da menopausa, as ondas de calor podem ser um grande problema na vida das mulheres que passam por essa mudança.

Eles podem ocorrer durante o dia ou mais comumente na parte da noite, chegando até mesmo a acordar as mulheres. Esse problema é caracterizado pela súbita sensação de calor, acompanhada de muito suor e desconforto. O sintoma vai e vem muito rápido, sendo seguido por uma sensação de frio.

2. Menstruação irregular

O segundo sinal mais clássico da chegada da menopausa é a irregularidade de menstruação. Com as alterações hormonais, é muito comum que os ciclos menstruais fiquem mais espaçados e inconsistentes.

Além da irregularidade na frequência, é comum observar algumas mudanças na intensidade do fluxo e na duração de dias de cada ciclo. Esse tipo de imprevisibilidade é um dos principais sintomas da menopausa, indicando que as mudanças estão acontecendo e que logo mais a sua menstruação cessará definitivamente.

3. Alterações de humor

As alterações de humor são uma característica presente em todo o ciclo reprodutivo das mulheres, e após o seu fim elas ainda marcam uma presença considerável.

Isso acontece, novamente, por conta das flutuações hormonais típicas dessa etapa. A falta de certos hormônios e o desequilíbrio dessas substâncias na corrente sanguínea podem ocasionar mudanças no humor. Isso também pode ser resolvido com a suplementação necessária ou alterações em hábitos cotidianos, como a prática de atividades físicas.

4. Redução da libido

Embora algumas mulheres na menopausa digam que sentem alterações positivas na libido, o mais comum é acontecer o contrário — especialmente no início das mudanças. Isso pode, pouco a pouco, se normalizar, ainda mais com a ajuda médica especializada.

Outro problema sexual bastante recorrente nessa etapa é a diminuição da lubrificação vaginal, por conta das alterações hormonais que acontecem no período. Por isso, o acompanhamento médico é fundamental para garantir o equilíbrio nessas áreas.

5. Mudanças físicas

Por fim, as mudanças físicas marcam presença nas alterações sofridas durante o período da menopausa. Elas também são causadas pelas mudanças no fluxo de hormônios, que são responsáveis pela manutenção de diversas reações em nosso organismo.

Algumas das mudanças mais características são: cabelo mais seco, pele mais fina, ganho de peso, rigidez nas articulações, entre outras. Novamente, o acompanhamento médico é essencial para garantir que tais mudanças não ocorram ou sejam adiadas.

Como podemos ver, os sintomas da menopausa podem ser, ao mesmo tempo, muito inespecíficos e muito característicos. Por isso, reconhecê-los é fundamental para passar por uma transição tranquila entre as fases. Caso note algum dos sinais, procure um ginecologista e tire as suas dúvidas sobre essa nova etapa, garantindo muito mais qualidade de vida!

Gostou deste artigo? Então, que tal saber um pouco mais sobre os benefícios da caminhada, prática que pode ser muito benéfica para mulheres que estão na menopausa?


239454-autoexame-da-mamas-entenda-sua-importancia-na-prevencao-do-cancer.jpg

outubro 5, 2018 Família0

Como já dizia o ditado popular, ‘’é melhor prevenir do que remediar’’. A prevenção é amiga número um do ser humano e é fundamental para evitar diversas doenças graves. Por isso, existe o autoexame das mamas, que consiste em apalpá-las, de preferência logo após a menstruação e uma vez por mês.

Tal ação previne o câncer de mama, que é o mais comum nas mulheres e considerado o segundo mais frequente no mundo, com 25% dos casos. No Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), os índices de mortes relacionadas à doença ainda são altíssimos, possivelmente porque ela só é descoberta em estágio avançado. O autoexame das mamas entra como um auxiliar no diagnóstico e responde por 50% da detecção dos casos malignos.

Por isso, é importante que você se informe sobre o assunto para entender o valor da prevenção e como o exame pode ser feito. Então, não se preocupe. Continue a leitura que falaremos mais desse tema!

Importância do autoexame das mamas

Como dito, esse tipo de exame ajuda no rastreamento do câncer de mama e pode evitar que ele prossiga para um estágio avançado, o que aumenta as chances de cura. A prática não substitui a sua participação em um programa de rastreamento completo, mas é importante por ajudar a conhecer o próprio corpo e fornecer ao médico informações importantes que ajudam na antecipação do diagnóstico.

Algumas mulheres pertencem a um grupo maior de risco, como as que têm um forte histórico familiar de câncer de mama/ovário, aquelas tratadas com radioterapia na adolescência/infância e as portadoras de lesões pré-malignas da mama.

Para esses casos específicos, é recomendado um rastreamento em idades mais precoces na faixa dos 25 anos. O autoexame das mamas ajuda no diagnóstico e deve ser realizado, preferencialmente, junto com exames clínicos e de imagem.

Quanto mais cedo se descobre o câncer, maiores são as chances de sobrevida, e o exame clínico deve ser realizado anualmente. Existem faixas etárias com incidências maiores da doença, como a partir dos 40 anos, sendo a mamografia mais recomendada aos 35 e o autoexame a partir dos 21 anos.

Maneiras de fazer o exame

O autoexame pode ser feito em frente ao espelho, no banho ou em posição deitada. Em frente ao espelho, levante os braços e confira se a mudança de posição altera o contorno e a superfície das mamas. Deitada, faça movimentos circulares e aperte os seios levemente com os dedos. No banho, eleve o braço esquerdo e deslize os dedos da mão direita sobre a mama esquerda, estendendo até a axila. Repita o movimento do outro lado.

Caso você sentir algum nódulo, mudança na textura ou no tamanho durante o autoexame das mamas, procure um ginecologista. A partir disso, será realizado o exame clínico que detectará como mais clareza se você possui a doença ou não, a fim de aumentar as chances de cura.

E aí, gostou do nosso texto e acha que ele pode ser útil para outras pessoas? Então, compartilhe nas redes sociais e ajude outras mulheres e entenderem a importância do autoexame das mamas!


240125-reservada-para-cida-godoy-entenda-de-uma-vez-por-todas-como-escolher-um-ginecologista.jpg

setembro 26, 2018 Família0

Uma dúvida frequente no universo feminino se refere a como escolher um ginecologista. Essa especialidade médica atua na prevenção e tratamento dos distúrbios no sistema reprodutor, bem como orientações sobre a sexualidade.

Considerado como um clínico da mulher, também diagnostica irregularidades no coração, ossos e aparelho digestivo. Dessa forma, é importante saber identificar um médico de confiança e manter as consultas em dia para obter tratamento rápido, quando necessário.

Pensando nessa questão, elaboramos este artigo com informações sobre os principais pontos a serem considerados na escolha de um ginecologista e esclarecer as dúvidas mais frequentes em relação ao assunto. Confira!

Como escolher um ginecologista de confiança?                       

Para ficar à vontade nesse momento é necessário escolher um profissional que facilite o processo permitindo fazer perguntas e escutando com respeito, atenção e ética profissional.

Mas, como fazer a escolha certa? A seleção pode ser iniciada com indicações e pesquisas na internet. Veja a seguir, algumas dicas de como fazer isso!

Verifique as suas necessidades

Há 2 tipos de especialistas para cuidar da saúde feminina — o ginecologista e o que tem uma especialização em obstetrícia.

O ginecologista acompanha as pacientes nos aspectos gerais do sistema reprodutor feminino, como menstruação, entre outros. Deve ser procurado assim que a mulher se inicia na vida sexual, quando perceber alterações hormonais ou sinais de doenças ginecológicas.

O obstetra, por sua vez, é o médico que atende a mulher quando há uma intenção de engravidar ou quando já está grávida. Acompanha o desenvolvimento do feto e a saúde da futura mãe, até o pós-parto.

Peça indicação às amigas e familiares

A busca por um profissional que atenda as nossas expectativas, pode começar por indicações de familiares ou amigas. As impressões das pessoas que se consultaram com um determinado médico podem ser de grande valia nesse momento.

Dessa forma, é importante perguntar sobre a maneira de atendimento e o perfil profissional para analisar se atende às suas expectativas.

Pesquise o perfil profissional na internet

A tecnologia pode ajudar muito nessa escolha. É possível verificar o perfil profissional do médico em redes sociais, sites médicos, associações e outros.

Dados como formação, especializações e atualizações do conhecimento, são importantes para identificar qualidades diferenciadas que indiquem maior confiança.

Veja se o consultório é confortável

Observe o conforto que o consultório oferece. Poder ler revistas novas ou assistir a TV, são opções que auxiliam no alívio da tensão e nervosismo antes de ser atendido.

Outro aspecto muito importante a ser considerado se refere à higiene do local. Verifique se os acessórios de consulta estão limpos e se o protetor da maca foi trocado para o seu atendimento.

Confira a localização

Procure saber se o profissional atende em mais de um endereço, ou mesmo próximo à sua casa.

A localização facilitada é importante para evitar possíveis desgastes com o trânsito ou dificuldades para chegar ao consultório.

Quando se deve procurar um ginecologista obstetra?

O obstetra deve ser procurado quando houver indícios de gravidez para exames e acompanhamentos até o pós-parto. Veja, a seguir, alguns aspectos que devem ser considerados.

Avalie o profissional na primeira consulta

Verifique o comportamento profissional, desde solicitações de exames para embasamento de diagnósticos, até o aspecto ético no atendimento. Busque informações confiáveis em sites que disponibilizam dados profissionais.

Um bom obstetra deve estar sempre disponível ou ter um substituto de confiança, previamente apresentado, para casos de emergências na gravidez, como sangramentos.

Assegure-se dos seus direitos às informações

Profissionais que não aceitam questionamentos, não são bons médicos. O direito à informação é imprescindível e deve ser respeitado.

As dúvidas devem ser sanadas e todas as informações precisam ser comentadas de forma clara e objetiva.

Nesse sentido, é de fundamental importância ter confiança e eleger um profissional que possa acompanhar a saúde da mulher na adolescência, gravidez, menopausa e cuidados com a saúde na pós-menopausa.

Conforme pudemos observar, saber como escolher um ginecologista pode fazer muita diferença para eleger um médico que atenda as expectativas e seja de confiança.

Gostou deste artigo? Para saber mais como manter a saúde em dia, leia também o nosso post sobre saúde preventiva que trata dos 5 exames e acompanhamentos médicos mais importantes!


231913-caminhada-na-praia-x-beneficios-a-saude-da-pratica-regular.jpg

setembro 14, 2018 Família0

Todo mundo que deseja cuidar da família precisa, também, se cuidar para ter mais disposição. E não existe forma mais fácil de conseguir isso do que aliar os exercícios físicos, necessários a boa qualidade de vida, a algo divertido. Então, que tal realizar uma caminhada na praia?

A vista agradável e a brisa marítima podem lhe ajudar a se exercitar, sem colocar a preguiça na frente. E se o dia for de luz, festa de sol e o barquinho a deslizar no macio azul do mar como diz a canção  fica ainda mais fácil e prazeroso.

Ficou curioso para saber quais são os benefícios de uma caminhada na praia? Então, continue a leitura e confira 4 vantagens dessa prática e os cuidados essenciais que você precisa ter. Vamos lá?

1. Receba vitamina D

A vitamina D é fundamental para melhorar a absorção de cálcio e fortalecer os ossos. No entanto, 90% do que é adquirido dela pelo homem vem do sol e apenas 10% são absorvidos por meio da alimentação. Então, imagine como uma caminhada de 20 minutos no início da manhã, preferencialmente antes das 10 horas, em que o sol se torna mais nocivo, pode fazer bem para o seu corpo.

No entanto, é muito importante que você não esqueça a hidratação para repor os líquidos perdidos pelo suor. Manter-se hidratado é essencial para ajudar a eliminar toxinas presentes no organismo, bem como melhorar a qualidade de vida.

Além disso, durante esse curto período de 20 minutos e nos horários indicados, os médicos recomendam não usar protetor solar para que a produção de nutrientes não seja impedida por ele. Porém, pessoas de pele muito clara devem sempre usar proteção e reduzir o tempo e a frequência de exposição ao sol. Boné e viseiras também podem ser boas opções.

2. Gasta mais calorias

Você sabia que as queimas de calorias são maiores na areia? Pesquisadores afirmam que essa diferença chega a ser 60% maior do que em pisos duros, como o asfalto. O motivo para isso é que ao pisar no chão macio, o seu pé afunda e obriga os músculos inferiores a fazerem mais esforço para se movimentarem.

Mas, para que tudo ocorra bem, você precisa ficar atento a alguns cuidados. Entre eles:

  • fazer um bom aquecimento para preparar o corpo e evitar lesões. Corridas leves e pequenos alongamentos podem resolver;

  • escolher o treino certo para que o seu corpo não seja sobrecarregado. Caso você fique muito desgastado ao correr na areia fofa, experimente ir para a molhada, que exige menos esforço;

  • usar roupas adequadas e com materiais leves que facilitam a evaporação do suor e ajudam a controlar a temperatura do corpo.

3. Melhora a coordenação motora

Como a superfície da areia é irregular, o seu corpo vai ser forçado a fazer constantes adaptações para se manter na posição correta. Isso gera mais equilíbrio, força, velocidade e flexibilidade, o que proporciona uma maior coordenação motora.

Porém, preste atenção na escolha do tênis e evite os de solado pesado. Os flexíveis facilitam o contato com a areia e aumentam o equilíbrio. Além disso, alguns médicos recomendam ir descalço quando se trata apenas de uma caminhada na praia.

4. Controla o estresse

Os exercícios físicos, de uma forma geral, aumentam os hormônios relacionados ao bem-estar e permite que você relaxe. Porém, entrar em contato com a natureza por meio de uma caminhada na praia dobra as chances de isso acontecer.

Estudos mostram que as pessoas que passam mais tempo ao ar livre e em contato com a natureza, principalmente em praias, apresentam menos chances de ter problemas relacionados ao estresse.

Portanto, tenha em mente que a caminhada na praia é um exercício sem custo e muito fácil de começar. E para torná-la ainda mais divertida você pode chamar a sua família para lhe acompanhar nas atividades ao ar livre.

Se você gostou do nosso texto, então, siga as nossas páginas nas redes sociais e acompanhe as atualizações. Estamos no Facebook e no LinkedIn


231061-alimentacao-saudavel-para-criancas-como-inserir-novos-alimentos.jpg

setembro 12, 2018 Família0

Pais e responsáveis sabem como é difícil promover uma alimentação saudável para crianças. Os pequenos são cheios de personalidade e igualmente teimosos, o que torna a inserção de novos ingredientes um verdadeiro desafio, especialmente quando falamos sobre frutas e legumes variados.

Uma alimentação equilibrada e repleta de nutrientes é, em contrapartida, essencial para o desenvolvimento adequado da criançada. Eles precisam de muita energia, vitaminas e minerais para crescerem e aprenderem cada vez mais.

Felizmente, é possível tornar essa tarefa um pouco mais fácil com algumas dicas muito simples e bem práticas. Quer saber quais são elas? Basta continuar a leitura deste post e conferi-las logo abaixo!

Crie um cardápio semanal

Embora pareça chata e desagradável, a rotina é fundamental para o desenvolvimento das crianças. Com ela, os pequenos aprendem a controlar as expectativas e começam a entender o funcionamento do mundo real, desenvolvendo mais responsabilidade e senso de realidade.

Por isso, a criação de um cardápio semanal é muito recomendada. Ele pode ser feito em conjunto com a criançada, escrito em uma folha e decorado pela própria criança. Em seguida, pode ser pendurado em um lugar de fácil visualização para que o pequeno saiba o que estará no menu de cada dia de sua semana.

Estabeleça o ‘’dia do novo’’

O dia do novo é uma estratégia muito eficiente que deve estar contida no cardápio semanal. Juntos, vocês selecionarão um dia da semana para tentar alguns ingredientes novos, sempre sem preconceito. Participe você também da brincadeira e inclua aqueles alimentos que você nunca experimentou.

Com a participação de toda família e o clima de brincadeira e diversão, é muito mais fácil fazer com que a criança aceite novos sabores e, quem sabe, até aprenda a gostar de ingredientes completamente inéditos.

Faça pratos divertidos

A apresentação dos pratos é essencial para todos os que irão fazer a refeição, sejam eles adultos ou crianças. Independentemente da idade, os seres humanos iniciam o ato de comer por meio dos olhos.

Por isso, pratos coloridos e divertidos são inegavelmente mais atraentes para a criançada. Brinque com os ingredientes e crie formas geométricas, personagens ou animaizinhos para fazer com que eles se sintam mais atraídos pela refeição.

Peça a ajuda da criança

Muitas vezes, as crianças veem o ato de comer como uma obrigação, principalmente por conta da obrigatoriedade de ingerir certos ingredientes não tão apetitosos. Por isso, cria-se uma relação nada saudável com os alimentos, o que pode gerar problemas sérios no futuro.

Um passo importantíssimo para fazer as crianças gostarem de sua comida é inseri-las no preparo. Peça a ajuda dos pequenos para cortar os produtos mais simples (sempre com supervisão!), amassar batatas, mexer panelas e montar os pratos. Essa relação mais direta fará com que eles percebam que comer é muito divertido!

E aí, gostou de conhecer essas dicas para incentivar uma alimentação saudável para crianças? Seguindo esses passos, fica muito mais fácil inserir novos sabores nas refeições diárias da criançada e garantir muito mais qualidade de vida e saúde para que eles cresçam e se desenvolvam a todo vapor!

Conhece outras pessoas que têm crianças pequenas e com um apetite caprichoso em suas famílias? Então, que tal compartilhar este artigo em suas redes sociais para que todos fiquem por dentro dessas dicas?


222049-plano-de-saude-individual-ou-familiar-entenda-qual-e-o-melhor-para-voce.jpg

agosto 22, 2018 Família0

Plano de saúde individual ou familiar? Essa é mesmo uma dúvida pertinente que paira na cabeça dos clientes. Fato é que, independentemente do modelo, hoje é essencial ter um plano de saúde.

Ninguém quer correr o risco de ser pego de surpresa com alguma doença e ter que gastar valores exorbitantes com hospitais e medicamentos, certo? Isso sem falar na possibilidade de ter que esperar dias (semanas, até) por uma vaga em um hospital público por meio do SUS (Sistema Único de Saúde).

É nesse sentido que os planos têm se destacado e conquistado cada vez mais público, deixando de ser um privilégio e tornando-se praticamente um item de necessidade básica. Mas, então, qual é o melhor modelo para você? É disso que trataremos neste post! Continue lendo e confira:

Como funciona o plano de saúde individual?

Como o próprio nome sugere, o plane de saúde individual se estende apenas ao contratante. Simples assim. Essa opção é ideal para aqueles que não têm dependentes e precisam tomar conta apenas de si mesmos.

É importante ressaltar que cada operadora conta com inúmeras alternativas — desde os serviços mais básicos, propostos no formato de um pacote econômico, até os mais complexos, que oferecem alternativas exclusivas e cobrem quase tudo que você pode imaginar.

Não à toa, os preços variam não só de acordo com a operadora escolhida, mas também com os planos contratados. Se você acrescentar vários serviços adicionais, por exemplo, o custo aumentará.

Em outras palavras, os valores são proporcionais ao tipo e à quantidade dos serviços prestados, além da faixa etária do usuário: quanto mais novo, mais em conta será o pacote. Além disso, na modalidade individual o cliente pode personalizar o seu próprio pacote, levando em consideração os serviços que mais utiliza.

E o plano de saúde familiar?

Quer que toda a sua família tenha direito a usufruir do plano de saúde? Então, você precisa investir na modalidade familiar, que nada mais é do que uma opção que engloba os seus entes queridos no pacote.

O método funciona da seguinte forma: apenas um responsável assina o contrato. Então, automaticamente, os dependentes são inseridos no sistema, cada pessoa recebendo o seu próprio cartão do convênio.

O grande diferencial desse modelo é que, analisando o valor por pessoa, ele sai bem mais em conta do que os planos individuais. Assim como o individual, é possível adicionar alguns fatores e coberturas extras — que, obviamente, interferem no preço final.

Para evitar mal-entendidos quanto a isso, lembre-se de ler com atenção o contrato, até porque existem operadores que restringem a quantidade de dependentes. Certifique-se de que todas as condições e critérios são adequados e que vão atender o seu núcleo familiar.

Qual modelo devo escolher?

Diante de tudo o que vimos, não existe um certo ou errado aqui. Tudo depende da necessidade do cliente. Não faz sentido, por exemplo, contratar um plano familiar caso você ainda não tenha constituído uma família. O contrário também é válido.

Em linhas gerais, fique ciente de que o plano familiar garante proteção às pessoas que você ama — e o melhor: de forma mais econômica. Ainda assim, seja qual for o modelo escolhido, lembre-se de implementar no planejamento financeiro uma quantia para esse serviço, pois, uma hora ou outra, você precisará dele.

Gostou do post? Quer se inteirar ainda mais sobre o assunto e tirar algumas dúvidas sobre o plano de saúde individual ou familiar? Basta entrar em contato com a gente! Será uma satisfação atendê-lo.


222651-lanches-saudaveis-para-escola-cuide-da-alimentacao-do-seu-filho-fora-de-casa.jpg

agosto 6, 2018 Família0

Uma das maiores preocupações dos pais é que seus filhos se alimentem corretamente para ter um bom desenvolvimento e evitar doenças. Em casa, fica mais fácil de controlarmos o que eles comem, mas e longe de nós? Por isso, saber como preparar lanches saudáveis para escola é uma ótima maneira de garantir a nutrição dos pequenos.

Embora exista uma lei que proíbe as cantinas escolares de venderem comidas que contribuem para a obesidade infantil, como salgadinhos, balas, doces e refrigerantes, ainda assim não dá para saber se o seu filho está comendo tudo certinho, não é mesmo?

Neste post, daremos dicas de como montar a lancheira do seu filho com alimentos nutritivos sem perder a praticidade. Acompanhe!

Quais são os nutrientes necessários no lanche?

O lanche escolar é uma refeição que deve ser bem elaborada e com todos os nutrientes que o organismo precisa para um bom funcionamento. Afinal, enquanto a criança estuda, o corpo dela precisa de energia para manter a concentração e assimilar todo o aprendizado.

Além do mais, ela está em fase de crescimento e a falta de algum elemento essencial pode acarretar em prejuízos nessa questão. Portanto, é importante saber os grupos de alimentos e seus respectivos nutrientes para então montar lanches saudáveis para escola.

Carboidratos

Eles são a principal fonte de combustível para o nosso organismo, dando energia para encarar as tarefas do dia a dia. Estão presentes nos cereais, pães, bolos, massas, arroz, raízes e tubérculos.

Proteínas

Elas são responsáveis por construir e reparar todos os tecidos do corpo, sendo indispensáveis para um bom crescimento. Podem ser encontrados nas carnes, ovos, leguminosas, leite e derivados.

Gorduras

Elas fazem parte de diversas funções do organismo, inclusive do cérebro. As fontes de gorduras do bem são: azeite de oliva, castanhas, nozes, óleo de coco, abacate, chia e outros.

Vitaminas, minerais e fibras

Enquanto as fibras ajudam a regular o trânsito intestinal e diminuir o colesterol e a glicose, as vitaminas e minerais são essenciais para o bom funcionamento do corpo.  As frutas, verduras e legumes são ricos nesses nutrientes, mas os outros grupos de alimentos também contêm essas substâncias.

Quais são as sugestões de lanches saudáveis para escola?

Agora que você já sabe os grupos alimentares, fica mais fácil montar a lancheira para o seu filho. Isso porque é necessário ter um alimento de cada grupo para garantir todos os nutrientes. Quer exemplos práticos? Veja estas opções:

  • sanduíche feito com pão integral, tomate, alface e queijo e suco natural de fruta.
  • bolo simples, iogurte natural e salada de frutas;
  • biscoitos integrais, queijo e uma fruta.

É importante que a lancheira do seu filho seja térmica já que os alimentos in natura estragam facilmente em temperaturas mais elevadas. Além disso, dê preferência para os bolos, pães e biscoitos nas versões integrais. Se você puder fazer em casa usando açúcar mascavo e ingredientes naturais, é melhor ainda!

Os sucos de frutas podem ser feitos e congelados nas forminhas de gelo. Na hora de montar a lancheira, é só colocar na garrafinha com água e, na hora do recreio, basta seu filho agitar o recipiente para misturar.

Para não ter que recorrer aos produtos industrializados que são cheios de açúcar, gorduras ruins e conservantes, o ideal é se programar. Os alimentos processados aumentam as chances de obesidade e não fornecem os nutrientes necessários que seu filho precisa.

Os lanches saudáveis para escola são fundamentais para ajudar no crescimento, no aprendizado da criança e na prevenção de doenças. Além do mais, faz parte de uma educação alimentar que deve ser incentivada desde cedo para que seu filho se torne um adulto saudável!

Quer saber das nossas novidades em primeira mão? Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo na sua caixa de e-mail!


217995-viagens-de-fim-de-semana-saiba-como-programar.jpg

julho 20, 2018 Família0
Após uma semana intensa de trabalho e preocupações com o bem-estar da família, as viagens de fim de semana podem trazer grandes benefícios físicos e psicológicos. Mas, para que elas realmente surtam efeitos positivos, é importante saber programá-las.

Viajar é muito mais que pegar as malas e sair. Qualquer viagem necessita de um bom planejamento para que tudo ocorra da melhor forma possível, evitando imprevistos que possam estragar os passeios.

Pensando nisso, listamos, neste artigo, algumas dicas sobre como se programar e as vantagens de viajar com a família e aproveitar ao máximo. Continue lendo!

Quais as dicas para programar viagens de fim de semana?

Planeje a viagem

Antes de viajar, uma das primeiras coisas que se deve definir é a data e o período. Uma boa opção é viajar na sexta-feira à noite e voltar na segunda-feira de manhã. Verificar os feriados no calendário pode garantir uma boa extensão do período de descanso.

Verifique as temperaturas na região escolhida para aproveitar melhor os passeios, de acordo com a estação do ano.

Monte um roteiro

Para aproveitar ao máximo a viagem, é importante visitar alguns sites que têm informações sobre a região e verificar os horários e atividades dos principais pontos turísticos, imprimindo um mapa com as localizações.

É fundamental elaborar um roteiro, incluindo os horários que devem ser seguidos, para realizar os passeios de forma tranquila e relaxada. Por meio dele, é possível definir o horário do café da manhã bem como o tempo necessário para se chegar aos locais.

Escolha onde se hospedar

Além de representar um considerável custo na viagem, você deve observar vários aspectos como infraestrutura, café da manhã e estado de conservação do local.

Há muitos sites que podem auxiliar nesse sentido, em que é possível comparar preços, acomodações, serviços e efetuar reservas. Verifique também a localização em relação aos pontos turísticos e escolha uma hospedagem que facilite os deslocamentos.

Defina o meio de transporte

A escolha do meio de transporte é de vital importância para tirar bons proveitos da viagem. Dessa forma, é interessante considerar qual opção pode ser mais vantajosa, tais como:

  • avião — encurta o tempo de viagem, mas é importante levar em conta as longas horas de espera no aeroporto, limite de peso de malas e a perda das paisagens ao longo do caminho;
  • navio — proporciona entretenimento, conforto e serviços diferenciados. Tem a vantagem de poder ancorar em diferentes regiões que acrescentam novos conhecimentos;
  • trem — além das paisagens que podem ser observadas durante o trajeto, o índice de acidentes é quase nulo;
  • ônibus — proporciona aproveitamento das paisagens, porém, dependendo do destino, a viagem pode se tornar muito cansativa;
  • carro — ideal para trajetos curtos e bem planejados. Proporciona conforto e liberdade para conhecer outras regiões durante o caminho. A desvantagem é o alto índice de acidentes.

Quais as vantagens para o bem-estar físico e psicológico?

Viajar restabelece a energia física e mental, ajuda na redução do estresse e fortalece o sistema imunológico, diminuindo o risco de desenvolver doenças. Além desses grandes benefícios, as viagens também ajudam a:

  • desenvolver as habilidades — ao entrar em contato com outras culturas, há um aprendizado na convivência com as diferenças;
  • exercitar a criatividade — novas experiências estimulam o cérebro, fazendo diferentes conexões neurais, por meio de sons, cheiros, comidas e paisagens;
  • aprofundar o vínculo familiar — passar um tempo com a família é essencial para o estreitamento nas relações, proporcionando momentos inesquecíveis para as crianças;
  • exercitar o corpo — as caminhadas durante visitas a pontos turísticos são excelentes para movimentar o corpo.

Como pudemos observar, as viagens de fim de semana, se bem programadas, podem dissipar as tensões diárias, estreitar os laços familiares e proporcionar novos conhecimentos e habilidades.

Gostou dessas dicas? Então, siga as nossas redes sociais para acompanhar outros posts que tratam da saúde e bem-estar para você e sua família — estamos no Facebook e Linkedin!


217629-saude-preventiva-x-exames-e-acompanhamentos-medicos-para-prevenir-doencas-1200x633.jpg

julho 18, 2018 Família0

A saúde preventiva é aquela em que, hoje, a gente cuida do nosso corpo para evitar problemas futuros. Além de manter bons hábitos de vida e evitar os vícios, o acompanhamento médico e os exames periódicos também são essenciais para prevenir doenças e ter mais bem-estar e longevidade.

Isso porque eles indicam alterações no organismo que podem trazer consequências maiores e detectam doenças no estágio inicial, aumentando as chances de tratamento e de cura.

Mas você sabe quais são os procedimentos que não podem ficar de fora do seu check-up médico? Então continue a leitura, pois neste post listamos os 5 principais. Confira!

1. Hemograma completo

É um tipo de exame de sangue que atesta a saúde geral do paciente. Tendo algum número fora dos valores de referência, ele indica que algo não está bem e, assim, o médico pede outras formas de diagnóstico.

Com ele é possível verificar anemias, doenças autoimunes e até leucemia. No hemograma completo se mede as plaquetas e os glóbulos vermelhos e brancos.

2. EAS (Elementos Anormais do Sedimento)

É feito a partir da urina e serve para avaliar o funcionamento dos rins e a sua capacidade de filtração, além de detectar infecções no trato urinário, como cistites e pielonefrites.

Ele analisa o ph da urina e detecta componentes que indicam anormalidade, como nitrito, sangue, glicose, leucócitos, proteínas e outros.

3. Glicemia

Mede a quantidade da glicose no sangue em jejum. O valor para a normalidade deve ficar entre 60 e 99 mg/dl. Ele serve para diagnosticar hipoglicemia e diabetes, que são doenças que podem acarretar em uma série de problemas correlacionados. Dessa forma, ele é fundamental na saúde preventiva.

4. Lipidograma

Também é analisado por meio do sangue e nada mais é do que quantificar os níveis de lipídios na circulação sanguínea.

Esses lipídios são gorduras presentes no organismo e que fazem mal se estiverem em valor descontrolado. São eles: colesterol total, colesterol LDL, colesterol HDL, colesterol VLDL e triglicerídeos.

5. Acompanhamento médico

É imprescindível fazer o acompanhamento médico para que possa avaliar a sua saúde, o histórico familiar e de doenças para solicitar os exames que forem necessários. Em geral, o check-up médico deve ser feito com a periodicidade:

  • adultos saudáveis: 2 em 2 anos;
  • pacientes com doenças crônicas (diabetes, hipertensão, câncer): 6 em 6 meses;
  • pessoas com fatores de risco (obesos, fumantes, sedentários e outros): 1 vez por ano.

Além disso, crianças, idosos e gestantes devem ter uma assistência médica especializada regular. Nesses casos, o profissional é quem vai determinar a frequência que os exames devem ser realizados.

alimentação saudável e balanceada em nutrientes que o organismo precisa e a prática regular de exercícios físicos também fazem parte da saúde preventiva. Por isso, para ter mais qualidade de vida, bem-estar e longevidade, cuide do seu corpo e de sua família seguindo as nossas dicas.

Quer ficar por dentro das nossas novidades e saber mais dicas de saúde e bem-estar? Então curta a nossa página no Facebook e acompanhe as novidades!


A BlueMed

A Blue Med Saúde nasceu com um propósito: oferecer o melhor serviço de saúde às famílias brasileiras.

Av. D, Avenida Dona Ana Costa, 274 – Gonzaga, Santos – SP, 11060-002

Fale Conosco

Sac 24 Horas
(11) 3016-9404

(13) 4003-8788 (litoral)

Central de atendimento

Em São Paulo (11) 3016-9404

Na baixada santista (13) 4003-8788